Iniciativa de segurança cibernética corporativa de Rhode Island como comprar bitcoin en venezuela

Rhode Island Corporate A Iniciativa de Segurança Cibernética (RICCI) faz parte do Projeto de Liderança Cibernética do Pell Center – um esforço contínuo para fornecer liderança de pensamento, recomendações de políticas e pesquisa aprofundada no campo cada vez maior da segurança cibernética. O RICCI é projetado para desenvolver líderes de negócios e tomadores de decisão seniores que podem afetar a mudança e Rhode IslandA comunidade empresarial e as indústrias críticas são mais seguras e resilientes aos incidentes cibernéticos.

melhor bitcoin carteira para iphone

Ao reunir líderes seniores de Rhode Island de toda a defesa, serviços financeiros, tecnologia, transporte, saúde, energia, telecomunicações, mas também agências policiais e governamentais, esta iniciativa pretende: enfrentar os desafios mais críticos de segurança cibernética para o setor privado; incentivar a conscientização e treinamento em segurança cibernética; promover melhores práticas, continuidade de negócios e planejamento de resiliência; e desenvolver abordagens para compartilhar informações sobre ameaças cibernéticas e garantir conformidade legal e regulamentar.


A RICCI aproveita os extraordinários recursos acadêmicos, industriais e de pesquisa da Nova Inglaterra para desenvolver a próxima geração de líderes cibernéticos estratégicos, que entendem os aspectos técnicos, éticos, legais e de conformidade relativos à segurança cibernética e para desenvolver soluções inovadoras para proteger as organizações de Rhode Island. e infra-estrutura privada do país.

Por ocasião do 15º Mês Nacional de Conscientização sobre Segurança Cibernética (NCSAM) – uma campanha de conscientização de longo alcance e iniciativa de educação liderada pela Aliança Nacional de Segurança Cibernética (NCSA) e pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA – o Pell Center está fazendo parceria com a Anomali, A Tech Collective e a Tevora oferecem uma conferência de meio dia sobre o mercado crescente de empregos de segurança cibernética e a necessidade de construir uma cultura de segurança cibernética em todas as organizações.

O evento destacará a necessidade crítica de construir uma força de trabalho forte e cibernética, abordará a lacuna de habilidades em segurança cibernética e incentivará todos os locais de trabalho a criar uma cultura de segurança cibernética da sala de reuniões até a sala de servidores. Vamos destacar como uma força de trabalho bem treinada e cibernética pode se tornar a primeira (e melhor) linha de defesa para organizações de todos os tamanhos e em todos os setores, e ajudá-los a se protegerem melhor, seus funcionários e seus clientes contra ameaças cibernéticas mais comuns e atenuar, responder e recuperar de incidentes cibernéticos. Também discutiremos carreiras em segurança cibernética e maneiras de motivar jovens estudantes, veteranos e indivíduos que estejam buscando uma nova carreira ou entrando novamente na força de trabalho para aprender mais sobre o campo e buscar trabalhos de segurança cibernética altamente gratificantes, bem remunerados e recompensadores.

Um dos principais riscos para nossa economia e segurança continua sendo a falta de profissionais de segurança cibernética para proteger nosso ecossistema cibernético em constante expansão. Inspirar a próxima geração de profissionais de segurança cibernética interessados ​​e capazes é um ponto de partida para construir defesas mais fortes. Esta sessão cobrirá melhores práticas para contratar, educar e manter muito procurado profissionais de segurança cibernética.”

A maioria das organizações acham difícil acompanhar as mudanças no cenário de ameaças cibernéticas. O Relatório de Investigações de Violação de Dados da Verizon (DBIR) é um relatório amplamente respeitado que fornece informações detalhadas sobre as ameaças enfrentadas pelas organizações e como elas podem mitigá-las. Há muitos equívocos sobre a segurança de TI, e o DBIR é um recurso fantástico para melhorar a compreensão do que realmente está acontecendo e ajudar as organizações a gastar seus dólares de segurança de maneira mais inteligente.

O Sr. Josh Costa é membro do Centro Consultivo de Pesquisa sobre Ameaças da Verizon | Equipe de Resposta a Investigações, atuando como Consultor Sênior de Resposta a Investigações. Nessa função, Josh responde a uma ampla gama de incidentes de segurança cibernética, realiza exames forenses digitais e auxilia as organizações na implementação de políticas e procedimentos de resposta a incidentes. Ele também é responsável pelo fornecimento de respostas a incidentes, análise forense digital e treinamento e apresentações com foco em segurança para a gerência executiva e o pessoal técnico.

tamanho do blockchain do bitcoin

O Pell Center juntou-se à campanha nacional Dia de Privacidade de Dados (DPD) 2017, um esforço internacional realizado anualmente para aumentar a conscientização sobre a importância da privacidade e proteção de dados. Como parte desse esforço, fizemos uma parceria com a privacidade de dados & especialista em segurança Linn Freedman para sediar um seminário especial sobre “Como criar uma cultura de privacidade & Segurança dentro da sua organização. ”

Esta sessão concentrou-se em dicas práticas e um roteiro sobre como lidar com o risco crescente de gerenciamento de dados, como criar privacidade e segurança de dados na cultura da empresa e como envolver os funcionários para fazer parte do processo. Freedman, uma advogada líder em segurança cibernética, trouxe sua liderança e experiência na indústria, aconselhando corporações globais a discutir como proteger a marca, o valor e os ativos de uma organização diante de crescentes violações de dados e ataques de ransomware. Ela também forneceu perguntas práticas para que executivos seniores consultassem departamentos e fornecedores de TI e RH sobre políticas e processos em vigor para proteger os dados da empresa e as informações dos clientes.

bitcoin da teia escura

A segurança das informações é tanto um problema de gerenciamento de riscos de negócios quanto de governança que conecta tecnologia, gerenciamento de negócios e a diretoria. Os líderes seniores não podem mais ignorar o vínculo claro entre ataques cibernéticos e seu impacto na confiança, no valor da marca, na receita e nos lucros dos clientes. A negação plausível, a falta de consciência sobre o risco da informação e o tratamento da segurança cibernética como um mero “problema de TI” não são mais opções aceitáveis. CEOs e conselhos de empresas são responsáveis ​​pela saúde de suas organizações e por estabelecer níveis de risco para suas empresas. Eles também são responsáveis ​​por formar uma equipe de profissionais de segurança de informações confiáveis, capazes de implementar um programa de segurança que atenda aos requisitos de governança e risco e que, rotineiramente, reportem aos executivos de nível superior sobre a postura de segurança cibernética da empresa.

Nesta palestra, o Sr. Baron discutiu por que os líderes corporativos devem entender como os riscos cibernéticos estão sendo abordados dentro da empresa e o que a equipe de segurança da informação deve estar fazendo para comunicar problemas, soluções e progresso na abordagem desses riscos. Ele também discutiu questões de responsabilidade legal para os membros do conselho e gerência executiva, e investigou as habilidades e conhecimentos necessários para ser um Chief Information Security Officer (CISO) eficaz. No futuro, os líderes seniores precisam entender seu crescente papel e visibilidade na postura geral de risco de segurança cibernética de sua organização; enquanto os profissionais de segurança da informação serão obrigados a fornecer informações significativas e acionáveis ​​à liderança, para que ações efetivas baseadas em riscos possam ser tomadas.

Houve numerosos estudos escritos sobre a psicologia de um hacker ou criminoso cibernético. Em vez de tentar fazer o perfil de um grupo ou indivíduo específico, as empresas devem rever as informações que já possuem e que podem ser valiosas e tentar entender como o adversário pode manipular seu sistema ou rede de computadores para se infiltrar, de modo que possam colocar o direito medidas para protegê-lo.

bitcoin wikipedia português

Nessa palestra, o Sr. Gortze examinou cenários da vida real em que as tecnologias de segurança falharam e até os piores casos em que os agentes de ameaças usavam as tecnologias de segurança próprias de uma organização contra eles. Dan não se concentrará nos prós e contras de tecnologias específicas, mas examinará a necessidade de uma arquitetura de segurança adequada e o risco residual representado pela necessária visibilidade generalizada de muitas tecnologias de segurança. Ele também compartilhará experiências e insights do campo.

O que os executivos de empresas, e os conselhos gerais em particular, devem fazer quando sua empresa é vítima de ataque cibernético? Se um cliente ainda não o convidou para ajudá-lo a responder a um incidente cibernético, isso provavelmente acontecerá em breve. Você sabe quais vulnerabilidades são mais importantes para proteger? Você está preparado para agir por um cliente pedindo ajuda em resposta a um ataque cibernético?

Nosso painel de especialistas reuniu os participantes por meio de um ataque cibernético simulado e diferentes cenários possíveis, além de fornecer considerações e dicas para os advogados. O painel também discutiu as melhores práticas para resposta a incidentes, incluindo questões que freqüentemente surgem quando se trabalha com a aplicação da lei e o conjunto de diretrizes que devem ser seguidas em relação a riscos e incidentes de segurança cibernética. Os membros do painel abordaram as obrigações de divulgação de acordo com as leis de valores mobiliários atuais – algumas das quais podem exigir a divulgação de riscos e incidentes de segurança cibernética – e as orientações pré e pós-violação que moldarão a forma como os Conselhos de Administração tratam das obrigações fiduciárias como parte da governança corporativa .

O painel de discussão explorou como as organizações de Rhode Island encarregadas de fornecer o sistema financeiro, de energia, de saúde e outros sistemas críticos do estado e da nação poderiam usar a Estrutura Nacional de Segurança Cibernética para proteger melhor suas informações e ativos físicos contra ataques cibernéticos. O painel incluiu Adam Sedgewick, conselheiro sênior de política de tecnologia da informação do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia; Michael Leking, conselheiro de segurança cibernética do Departamento de Segurança Interna da região Nordeste; e Jamia McDonald, diretora executiva da Agência de Gerenciamento de Emergências do estado. Os três ilustres palestrantes discutiram as especificidades da estrutura e outras iniciativas nacionais e estaduais para apoiar sua implementação. Além disso, o senador Sheldon Whitehouse (D-RI) e o deputado James Langevin (D-RI) proferiram palestras e reconheceram o compromisso dos líderes do RI em fortalecer a postura de segurança cibernética do Estado e de instituições como o Pell Center excelente fórum para os esforços regionais neste campo.