Uma noite no estúdio – o renascimento da música de câmara na Ópera de Dubai – o nacional Minc Bitcoin

Lançado como um experimento valente em setembro, as primeiras quatro edições da música no estúdio resultaram em um empobrecimento, causando uma segunda rodada de concertos de seis meses em janeiro, o quarto de abril. As principais atrações de concertos pessoal pelo famoso violinista britânica Tasmin Little, estrela Katherine Bryan estão subindo flauta mestre de piano russo Alexander Ghindin e, no mês passado, na sala Paul Meyer e Eric Le Sábio Duo.

Mas se a capacidade de ver esses talentos em um espaço confinado tem provado ser uma novidade regional, a contribuição de longo prazo da série provavelmente estará fora do palco. Um dos pilares foi que cada artista convidado também tinha que organizar uma master class para os estudantes de música do Emirates – e até agora, a recepção foi fenomenal, Fouad diz, com mais de 100 jovens músicos participando ou fazendo audições.


Cada músico apresenta um tutorial especial baseado em seu instrumento principal. Enquanto falamos, Fouad está no processo de audição de uma longa lista de cantores que se alinham para uma master class com Latchman, que acontecerá dois dias antes do show.

“Eu realmente acredito que as master classes têm muito a ver com a construção de audiências e conscientização da comunidade”, diz Fouad, cuja musicalidade abrange três continentes. Ela nasceu no Reino Unido por pais egípcios e treinou no Canadá e na França. “Temos visto nos Emirados Árabes Unidos muito talento – é incrível como muitos jovens artistas que vemos aqui temos um público jovem e dinâmica que é realmente animador ver todos estes sentido muito privilegiada …”

De acordo com Fouad, o momento mais comovente e memorável foi longe do palco e em particular, quando 30 jovens guitarristas chegaram a uma oficina de performance em grupo para tocar quatro partes complexas em uníssono. o famoso guitarrista mexicano Mauricio Diaz Alvarez em fevereiro.

“Eu quero devolver algo, minha responsabilidade artística, organizando esta série”, diz ela. “Eu sempre pensei que seria uma enorme oportunidade perdida se tivéssemos grandes artistas da cidade e que os jovens não teriam a oportunidade de conhecer e aprender com eles, e graças a este imenso conhecimento e experiência que eles trazem. “

O amanhã concerto é a terceira fase da Fouad – anteriormente violoncelista Guy Johnston e Rhian soprano abertura Lois – mas este programa ser especialmente memorável porque vai trazer Fouad com Latchman, um longo prazo parceiros criativos, um talento que Trinidad você sabe há anos que ela está pronta para contar.

Depois de se aliarem à Universidade do Canadá, eles continuaram a tocar juntos e a gravar juntos enquanto ambos se mudavam para Londres, e fizeram muitos shows ao longo das décadas. Esta será a primeira aparição do tenor nos Emirados Árabes Unidos.

Regular em lugares como Wigmore Hall de Londres e no Concertgebouw de Amesterdão, Latchman é por suas interpretações de obras de Tosti, Donizetti e Lecuona, conhecidos contendo o programa em Dubai no próximo Tchaikovsky, Grieg e Chopin. “Existem alemão, italiano, francês e inglês” Fouad diz. “Neil é muito dramático no palco.”

A série continua no dia 2 de maio, com o famoso clarinetista britânico Julian Bliss duetos românticos palavras cruzadas Brahms com Gershwin influenciado pelo jazz e ritmos cubanos Paquito D’Rivera, juntamente com seu antigo parceiro de piano Julien Quentin de interpretar.

Mas mais uma vez para Fouad, a verdadeira beleza da música de estúdio está longe de banners e luzes brilhantes. Ela nostálgica fala das origens da música de câmara, Isso começou principalmente como peças compostas e impressas para os amantes casualmente se apresentarem em casa.

Nos dias anteriores ao registro ou ao rádio, para os tipos mais ricos, as reuniões sociais sempre eram centradas e julgadas em torno da qualidade do programa musical proposto. Mas na maioria dos casos, o público realmente se reunia, como uma festa em casa ou uma reunião com uma trilha sonora hoje.

“Neste tempo do iPad e do Bitcoin, com o mundo se movendo tão rápido, devo dizer que é muito reconfortante saber que a música ainda une as pessoas -. Todos os tipos de música ainda preenchem as trincheiras e culturas, e você sente tanto em shows e especialmente nos Emirados Árabes Unidos ” Fouad diz.